Estações

FRUTOS DA PRIMAVERA 2014 - ANIMAIS

De animais tínhamos galinhas e gatos.
Gatos e gatas para proteger de ratos do mato e outros animais.
 Eles realmente caçam...
As galinhas e galo para ovos e carne...


Esta primavera apareceu este gatinho...
Dei o nome de Sirius!
Porém todos os fatos estavam diferentes: 
ele miava muito... e nenhum dos gatos vinha atende-lo... 
até a mãe dele ficava de longe, apenas observando... parada...
 Sirius já tinha dentes e não conseguia comer sozinho...
Até o dia que apareceu, de maneira contundente, as respostas:
ele estava muito doente... começou a enrijecer os músculos... e lentamente foi morrendo...




Minha mãe queria gansos. 
De tanto ela pedir... ganhou cinco ovos...
Comemos dois... delícia!
Os outros 3 foram chocados por uma galinha.
 Incansável ele permaneceu chocando por quarenta dias os 3 ovos.
No dia do nascimento deles, quando ela olhou aqueles seres... estranhos... amarelo ouro...  ela começou a bicá-los... rejeitando-os!
Começou então um período de lenda urbana: 
cuidar, alimentar e aquecer dois bebê famintos...!
A medida que crescem as penas vão clareando...
Minha mãe os batizou de Vítor e Vitória!
Os dois andam juntos, fogem juntos, comem juntos, 
dormem juntos...inseparáveis! 


Um casal de amigos  trouxeram o gluglu ...
ainda vão trazer a gluglu...


e junto veio este casal lindo de marrecos.


Os ventos do  final de primavera trouxeram as minhas duas anjas...


sorridentes... e prontas para curtir o Vítor e a Vitória.


A plumagem dos dois estão mudando outra vez... 
é a eterna lei da mudança...


Esta nova família esta a espera de dois casais de gansos
 e mais a perua gluglu...


Este é o Aquarius!
Me acompanhou durante todo o período que estive fotografando!
Foi um prazer fazer mais uma documentação fotográfica destes tempos de mudanças...




FRUTOS DA PRIMAVERA 2014 - FRUTAS







Frutas da primavera 2014 - gramíneas


A primavera traz também o que a maioria chama de mato.
Eis ai uma área da mãe terra que tenho que aprender...




Olhando o mato e descobrindo onde estão
 as particularidades... 
as peculiaridades...
 a vida florescendo...
a vida se desenvolvendo... 














Esta gramínea abre uma espiga meio lilás quando nova.
Quando se abre distribui suas sementes e perde a coloração.
 É amiga da tanchagem...


Esta gramínea forma pendões de sementes 
que se vergam no caule...
Pergunto-me como usa-la na alimentação humana...


Enquanto estou editando esta postagem
 minha mãe conversa com a Mariana:
"As plantas estão rindo com esta chuva!"



Estas baccharis não são gramíneas... contudo não poderia perder esta oportunidade de mostrar sua floração...



Esta gramínea produz estes lindos frutos 
e uma flor belíssima... azul.
Será que é uma gramínea? Não sei ainda...


A tanchagem é uma planta amiga de muitas gramíneas...


E esta... que lembra dança... leveza...beleza...amizade... 
e também, porque não, nutrientes para o corpo humano...


Esta gramínea  é bem mais alta e podemos vê-la de longe...
... forte... poderosa... e oferece alimentos ...



Me encantei com esta... tão conhecida de datas de outrora... e eu nunca tinha observado suas características... ela é linda!



Vou encerrar esta postagem mostrando esta erva, 
que nos visita em todas as primaveras com toda a sua família.
 A conhecemos como erva de bicho. 
É diurética , vermífuga e.... muito mais...
Não vou continuar sem pesquisar mais.
Fico me perguntando: quanto alimento me é oferecido toda primavera pelas gramíneas e eu desperdiço por ignorância?



FRUTOS DA PRIMAVERA 2014 - FLORES

Finalmente uma chuva intensa...amiga... 
daquelas que penetram na terra e enchem a vida de alegria...
gratidão...


É a primavera próxima a entregar o bastão para o verão.
Começo com a mesma rosa, duas vezes... não me decidi por nenhuma...
Ela floresce rosada e fica adulta toda branca...




Esta rosa é trepadeira, das cercas... 
veio exuberante... sua primeira floração...



O copo de leite deu um show no inverno e na primavera...
Estas são são suas últimas flores do ano...
Hora de descansar para renovar as energias...


 
 


As hortênsias, aparecendo na hora certa...
As fotos repetidas mostram a dúvida...


Mais dúvida...
Esta flor adora a beira da estrada...
 portanto parei, recolhi umas mudas e trouxe para casa... 
elas estão se sentindo acolhidas...



O calor deste ano fez as capuchinhas 
em vários pontos do sítio...


O physalis começou a florescer...



As flores e gavinhas do pé de xuxu...



As lindas flores brancas da jurubeba...
Uso as flores na salada e os frutos como condimento.



As lindas flores do mata piolho...
 Este ano achei que floresceu pouco... mas vieram...
 gosto muito da visita delas...




Para encerrar a apresentação das flores,
 apresento a linda dança das flores do alho porró...
É completamente magnífico aquelas antenas apontadas para o céu numa conexão com todas as forças do planeta e do espaço sideral...
Lembrando que...
...nem todas as flores consegui capturar em imagem... 
...nem todas flores consegui perceber quando apareceram...
Minha gratidão a todas!



Sai no fim da tarde para fotografar alguns eucaliptos.
12 de agosto de 2014.


Encontrei esta roseira exibindo sua primeira rosa.


Quando vim fazer a edição 
a maioria das fotos estavam contando outras histórias.


Como a desta rosa que apenas queria ser uma pintura


e se fusionar atomicamente com a paisagem.


Encontrei estes vórtices se formando no véu de noiva.


Mostrando novas realidades...


.. novas conexões...


... que apontam para o alto...


E o buque de noiva aparece apenas aqui, lindo e gentil.



 Os copos de leite, sempre tão generosos.


Como são generosos!!!


O inverno inteiro floresceram!


Vicejam mostrando todas suas fases, 
toda sua força, toda sua simplicidade!


A flor do trevo ficou tímida e ofereceu suas cores.


O dente de leão brota ao teu redor.


 Oferece suas folhas e flores. 


 Também oferece seus outros presentes.


Na porteira, saudando a que passa, 
a pixirica preparando sua nova geração.
Cada inverno oferecendo 
suas cores...
 suas formas... 
seus saberes...



Ontem, oito de março de dois mil e quatorze, 
sai cedo para dar um passeio.
Queria rever as primeiras flores da quaresmeiras,
lá na porteira.
Claro que o caminho a beira da estrada sempre tem novidades.
Desta vez a novidade começava no ar, estava mais frio e úmido.
Senti que havia começado a mudança de uma estação para a outra.


O verão estava começando a se despedir.
Este belo capim inicia a vicejar na primavera 
e tem seu ápice no verão.
Agora acena seus últimos momentos de floração.
Suas plumas já mudaram de cor e seus galhos começam a tombar.


Prazer, está não sei como se chama.
Contudo vou observa-la.


Encontro a Baccharis trimera  na sua fase de reprodução.
Esta esta preparando suas flores.


Click!


Esta Baccharis já esta florida, exuberante.


Tento aproximar para capturar mais detalhes da flor.


Ela é preciosa!


Click!


Click!


Click!



A arnica silvestre desabrochando.
Ela é uma Solidago sp.
Suas flores são a promessa de alimento para as abelhas no outono.


Olha que maravilha! Linda!
Abre suas flores agora, se preparando para o outono.


Achei o que vim procurar.


Preciso desfazer um engano que vinha fazendo.
Esta árvore que faz meu coração  se inflar de alegria 
é o manacá da serra,
 não é a quaresmeira,
e se chama Tibouchina mutabilis.


Click!


Click!


Suas flores possuem uma característica incrível!


                                                                             Click!



Suas flores, no primeiro dia, são brancas.
Esta já está no segundo dia, quando começa a ficar lilás.



Click!


Click!


No terceiro dia fica roxa.


Click!


Click!


Click!


E a partir de agora teremos flores de tres cores na mesma árvore.
Seus botões são a promessa da alegria.
Consegui desfazer este engano visitando o site da
 Prefeitura Municipal de Petrópolis.


Click!


Click!



Encontro outra amiga da saúde, 
do tingimento e da estamparia, a macela. 


Nossa amiga  Acryrocline satureioides se desenvolvendo.


Click!


Esta é uma daquelas amigas que não sei o nome.


Acredito que seja um tipo de vassoura.
Esta arvoreta esta lindamente repleta de flores.


Estas flores são um alimento rico para as abelhas 
e quando colocadas num vaso,espalham beleza.



Aqui esta a quaresmeira verdadeira.


Aquela que floresce após o carnaval e apresenta flores roxas.


Seu nome é Tibouchina granulosa.


Suas árvores são muito usadas nas áreas urbanas.


Aqui em casa este exemplar esta maravilhoso!!!
Hora de desfrutar o término do verão!!!
Hora de  aguardar o outono!!!


27  de janeiro de 2014

Cada vez que eu subia as escadas e olhava pela janela lá estava ela.
Fui percebendo o crescimento do novo ramo e quando percebi as flores já estavam todas abertas.



Estou falando dela, a rosa branca.
Ela me chamou e eu vim fotografar sua passagem por este planeta, oferecendo um dos maiores remédios para a humanidade: 
suas pétalas brancas.


As pétalas da rosa branca é remédio para curar as dores da alma.


Aqui, um ramo mostrando que virá mais beleza e cura.
Muito obrigada Fritz, por esta muda que me presenteastes.


Na hora da edição apareceu este vórtice de energia, maravilhoso.


Claro, não podia perder esta oportunidade, nesta manhã de segunda feira, nevoenta e preguiçosa, e continuei meu passeio.
Encontro outro remédio maravilhoso sendo prometido, abóboras.


Pelas fotos da para notar que deixamos o picão florescer.
Para nós ele não é uma erva daninha, é um remédio poderoso.
Usamos ele, e outras, na salada crua, na farofa, na sopa, no molho para o macarrão, no suco de liquidificador, no suco feito no processador, e onde mais a 
criatividade da hora mostrar o lugar dele na nossa existência.
Podemos chama-lo de Bidens pilosa, 
e é velho conhecido dos povos indígenas.
 Aqui tem conhecimento.


Não lembrei de mostrar a quantidade de 
tomates cereja que deu este ano.
Seu cheiro e seu gosto são apaixonantes.


Adorei estas tonalidades.


Eles se oferecem  em abundância.


Este é um pé de feijão.


Ele não tem nada de simples.
 Ele é a força impulsionando seu próprio destino.
Ele tem flores brancas e é mágico olha-lo e senti-lo.


Mil em ramas, também conhecida como  Achillea millefolium.
" O nome latino do gênero  deriva do herói grego Aquiles que a utilizou em uma de suas batalhas para curar seu rei, o epiteto específico millefolium que significa "mil folhas"  é alusivo ao grande número de minúsculas folhas (folíolos) que possui."  Grata Harry Lorenzi .
Sempre namorei suas flores.
Este é um presente que ainda não aproveitei bem.
Ela pode ser usada internamente e externamente.
Olhar suas flores já alimenta a alma.


Ah! E os olores da manhã!
Está é a menta.


Está é a hortelã, a mais conhecida.
do seu lado as flores estrelas do guiné.


O gervão com suas flores azuis e sempre visitado por muitos insetos.
Não usamos ele ainda para nada.
Mas te-lo na horta faz toda a diferença, pois ele é lindo!


Olha o que encontrei voltando para casa, a amora andina
A formação dos seus frutos é algo espetaculoso.
Valeu!
Estava precisando relaxar...



SAUDANDO A PRIMAVERA!!!
23/09/2013
Hoje a tarde o sol despontou radiante.
Não tive dúvidas e sai para tirar as fotos dos trabalhos de feltro.
Quando terminei de fotografar olhei ao horta e vejo este alho porro brilhantemente limpo e erguido.



Foi quando lembrei de olhar o céu.


Me deparei com este azul,


imenso


e brilhante.


Nuvens para os anjos brincarem


encima da casa.



Resolvi dar um pequeno passeio para aproveitar este momento.


Encontrei a primeira rosa rosa 


e o primeiro copo de leite do sítio. 
Mesmo que esta foto saiu ruim resolvi que 
ele deveria fazer parte desta postagem.



Olha este maravilhoso pé de "buquê de noiva". 


Resistiu a chuvas torrenciais e ventos impetuosos, durante dias.     Hoje encontro esta beleza esperando para ser admirada.


Diferente  desta flor tão frágil, tão doce e tão encantadora, que mostra-se abatida depois destes momentos torrenciais.


Hora de olhar para o céu outra vez.


As nuvens voltam a encobrir o azul, 
afastam o  brilho do sol  
e trazem a promessa de mais chuva. 
Assim seja!


ESTAÇÕES

Hoje, dia 24 de julho de 2013, saí às 10:30 horas para fotografar.



Encontrei restos de gelo nos lugares mais sombreados.


       Este gelo comprova que ontem tivemos neve, muita neve.


Belo!!!


    Na noite anterior aconteceu uma grande geada.



    Nesta lona que cobre as lenhas encontrei estas placas congeladas.


     O sol estava alto no céu e mesmo assim a neve se desfazia lentamente.


     Ao caminhar na grama o som era seco, de algo quebrando, estalando ao peso do corpo.


     Pequenos, pequeníssimos flocos congelados nas folhas formando belos esculturas.


    Flocos que contornam as folhas da tanchagem.


    Para dar geada aqui, deixando estas malhas brancas, é porque ela foi muito forte.


    O sol vai encontrando a neve.


O sol forma desenhos, os mais diversos nestes vestígios finais da neve.


      Quando os raios incidem sobre a neve emitem muita luz e brilho.


      É mágico!!!


     Hoje conheci uma nova  faceta da geada.


     São formações geométricas de gelo.


      Estruturas arquitetônicas que formam pequenos conglomerados gelados.


    É completamente encantador ficar apreciando estas pequenas formações.


    A imaginação é o limite ao olhar estas estruturas geladas.


    Clic!!!



    Clic!!!



     Clic!!!


     Clic!!!


    Ainda encontro malhas grandes de geada.


    Hoje esta mata tem esta cara: ensolarada e verde.
                                          

    Ontem ela estava assim!!!

    Já escureceu e o frio está FRIO!!!



Ontem a noite, e é importante marcar a data, 22 de julho de 2013, meu marido foi olhar pela janela e disse que estava caindo chuva congelada.


O carro da cunhada estava branco.



Veio a confirmação: é neve!!!!


                                             
                                              Com flash consegui registrar esta maravilha.
  
      Estas são as pegadas do meu marido na noite.
                         Para assistir Shrek ele teve que retirar a neve da antena parabólica várias vezes.
Porém era necessário dormir.

                      
                                            Hoje de manhã encontramos estas imagens a seguir.
                                         

                           Da varanda já comecei a tirar as imagens que estavam me impressionando.


                           Nestes treze anos de convivência neste município, mas outros tantos para trás, passando por aqui nunca havia visto nada tão espetacular.


                                         Estas são as esteiras para secar lã: congeladas.


                                  
                                         Lã longe telhados se misturando com a mesma cor dos campos.

                             
                              Aqui o telhado são esperava o trenó do papai noel trazendo presentes.

                              
                                                Desci, estava na hora de ir para a rua.

                                
                                            Este é um presente que eu não esperava ganhar:

                              
                                  sair de casa e encontrar tudo branco, sem ser uma grande geada.


                     Ontem, na noite, só se escutava o som dos galhos se vergando sob o peso da neve.
                             Hoje começo a perceber o esforço das amigas plantas e plantas amigas para aceitar este manto branco.


                                             Como sempre, não sei como saem fotos grandes, mas achei ótimo.


                                          Começo a subir para ir  até as extremidades do sítio.


                                              Os floquinhos enfeitam o pé de vassoura.


                                                        Ao longe o manto se estende.


                                          As pessoas começam a se movimentar para apreciar.


                                          O que acontece dentro da gente é indescritível!!!

   
                        O momento é da criança interna que está descobrindo um mundo ainda intocado.




           É uma alegria pueril, que penetra em todas as células, faz circular o sangue e não sentimos frio.


                                                   A amiga carqueja desponta firme.

   
                                                   As gramas já são por natureza fortes .




                                                               Um cartão postal!


                                    É claro, ela mexe com nossa criança e traz uma alegria genuína.


                                                     Marcar o momento é importante!



                                                         Abrir a porteira é preciso.


                                                                   

                                            Algumas plantas se vergam sem quebrar.                                      



                                         Fotografar com os olhos e fotografar com a máquina.


                                   A cada passo nesta capa o manto cede com o peso do corpo.


     Simplesmente não preciso olhar o visor da máquina, apenas clicar e saem cenas assim.



                              O sol ainda não saiu, mas o calor já vai desfazendo  o manto branco.


                                                                     Clic!!!

                                                                       

                                                                       Clic!!!                           
                    


                                                                   Clic!!!


                         Esta é a nossa amiga dos frutinhos roxos e cores lindas na estamparia vegetal.



                                                                     Clic!!!


                                                           Aqui um dos limites do sítio.


                                                         É necessário parar e admirar!!!!                                            



                                                                   Clic!!!



    
                                             Hora de aproveitar a criança que habita em nós.
                                                              


     E para quem nunca brincou na neve, em apenas alguns momentos , instala as informações que faltavam    na infância.





                               A felicidade, para os humanos, esta em cada floco que se forma.




                          Enfim chego na porteira de entrada e sinto que não preciso ir para outros lugares.


                                            Olho para longe e sei que poderei ver muito mais.


                                A porteira está aberta, mas resolvemos ir até a outra porteira.


                                  As samambaias também se mostram poderosas.


                                                O dia ainda não amanheceu direito.


                                                         Está preguiçoso e saudoso.


                                          Na outra porteira encontro as terras da vizinha.


                           Vamos entrar. Aqui tem muitos campos e o manto ainda esta mais inteiro.


                                                  Interessante: onde tem campo acumula mais neve.


                                           Ao longe uma nuvem prometendo mais frio.           


                                                                        Clic!!!



                                           Agora sim, posso ver estes pinheiros amigos.


                                       Estão lindos!!!!!


        A lama também aparece nas pegadas e mostro o outro lado da diversão.


                Clic!!!


            Clic!!!


     Os galhos dos pés de macieira aguentam firmes.


        Clic!!!


     Clic!!!



     Clic!!!


     Clic!!!



      Clic!!!


    Clic!!!


     Voltando para casa!





    A horta parece um belo quadro.


     O alho porró garboso!


      A couve parece brincar!


     O taiá continua sério!


    A erva doce não resistiu, mas a babosa, apesar de não gostar de frio, continua firme.


     O galho da vassoura não resistiu ao peso.

 
Alguns galhos de physallis também cederam ao peso.
                               A voce, de perto ou de longe que me acompanhou até aqui, saiba que é apenas uma menina maravilhada com o presente que ganhou.
Enquanto faço a postagem o sol já saiu e o manto está se desfazendo, mas a alegria  e o encantamente permanecem dentro do coração, nas células, nas veias, nas retinas.

Estamos em janeiro/2012, e a natureza continua sua permanente mudança.
Aqui um anoitecer prometendo chuva para o próximo dia.






Os sapos, os grilos,as rãs e pererecas se preparando para mais uma noite de cantoria.

video

Esta margaridinha do campo aparece todos os anos enchendo os olhos de branco.



Esta planta da família das jurubebas continua sua floração branca, linda, charmosa, , e já aparecem os primeiros frutos.


A quaresmeira já está viçosa se preparando para sua próxima  floração.


                                     PRIMAVERA - 2012

O ocaso começando e a lua já despontou. 


                                      Esta na crescente.


                            Conversa vai , conversa vem, com este filhote de Araucária angustifolia.


                                                  Um céu se pintando de cores.


E as cores dançam nas nuvens.


No mesmo momento temos branco, rosas, amarelos, e azuis.


É alimento para a alma.




Nós gostamos de mato e deixamos vários crescerem à vontade.





Este é um vassourão de 4 anos.




Alguns consideram esta planta que dá estas flores lindas amarelas como praga. Nós deixamos crescer. As flores são lindas. Antigamente as mães lavavam os cabelos de seus filhos com estas flores para erradicar os piolhos.


A medida que vai envelhecendo e secando aparece a semente envolta numa penugem.

E o vento se encarrega de disseminá-la.



Este é outro tipo de vassourão. Deve ter uns 2 anos.


O anoitecer em fogo.



A diferença de tempo entre as fotos é de aproximadamente 15 segundos.
As cores dançam  ao sabor das notas celestiais.



Promessa de chuva chegando








A marcela já está florescendo e vai ser colhida na páscoa.


Este molhe é de dois anos atrás. Este ano a colheita foi fraca.


Ela dá ótimos remédios, tinge muito bem lã, seda e algodão e ainda pode ser usada no ecoprint.





O verão se aproximando e junto vem as tempestades.





A tempestade se dissipando e trazendo o azul antes de anoitecer.





Presente da semana. As fotos foram tiradas num angulo de 180 graus.











DESPEDIDA DA  PRIMAVERA